Piso elevado sai dos escritórios e ganha espaço em aplicações especiais

O inteligente sistema de piso elevado, agora permite resolver situações de difícil solução, como descontinuidade de nível e passagem de instalações.

Desenvolvido inicialmente para atender a demanda por flexibilidade em escritórios e em lajes corporativas, o piso elevado vem conquistando novas aplicações, como em áreas molhadas e em varandas, o que antes não era recomendado.

Essa nova procura ocorreu devido a crescente procura de construtores e incorporadores por sistemas construtivos industrializados. O objetivo é racionalizar recursos, reduzir a demanda por mão de obra, eliminar perdas e improvisações. Sem deixar de lado, da qualidade e do atendimento e as normas técnicas. 

Ao criarem um espaço para caminhamento das instalações entre a laje e o piso acabado, o piso elevado permite corrigir desníveis na laje e facilitar o acesso à infraestrutura em caso de manutenções. Em um eventual vazamento, a intervenção pode ocorrer com o descolamento do revestimento para a liberação do painel plástico, permitindo o acesso à laje impermeabilizada, sem ter que quebrar o piso principal. 

Vale lembrar que, quando composto exclusivamente por materiais termoplásticos (sem componentes metálicos), o piso elevado não está sujeito à oxidação, tornando-se adaptado para uso em áreas expostas à água, como em banheiros, vestiários e terraços.

 

NORMA DE DESEMPENHO

O uso de piso elevado em projetos residenciais também pode auxiliar no atendimento aos requisitos da Norma de Desempenho (ABNT NBR 15.575:2013 Edificações Habitacionais - Desempenho).

A engenheira Maria Tereza Castro, explica que, em ambientes internos, o piso elevado pode reduzir os ruídos de impacto, que passam entre andares. Já em áreas molhadas, ele ajuda a reduzir os incômodos ruídos hidráulicos. A explicação é que, ao criar uma lacuna entre o piso e a laje, o piso elevado forma uma barreira à transmissão direta do ruído, reduzindo a ressonância das ondas sonoras. A tendência, segundo Maria Tereza, é a de que esse tipo de solução conquiste cada vez mais espaço em empreendimentos residenciais.

Isso porque, além das vantagens acústicas, a quantidade de aparelhos e dispositivos conectados às redes de energia e de dados é crescente, demandando soluções construtivas capazes de acomodar o cabeamento com segurança e flexibilidade.

Embora o uso de rede sem fios vem ganhando espaço no mercado de soluções residenciais, esse tipo de tecnologia apresenta algumas desvantagens, como por exemplo, o enfraquecimento do sinal, de acordo com a distância em que se encontra o ponto central, fator que culminou na preferência para o investimento em piso elevado.

A procura por minimizar os transtornos de manutenções em áreas molhadas também provocou o uso do piso elevado em banheiros e vestiários, seja em edifícios residenciais, comerciais, instalações hoteleiras ou hospitalares.

Em alguns edifícios comerciais, por exemplo, o piso elevado é especifico para assegurar mobilidade de hidráulica, elétrica, ar condicionado e internet, revela o engenheiro David Abuhab, diretor responsável pela construção do empreendimento com salas comerciais.

Nos banheiros, o piso elevado foi especificado para facilitar eventuais manutenções nas instalações hidráulicas que correm entre o piso e a laje.

 

Veja também:
Por que optar pelo piso elevado?
Parisi e o mercado de piso elevado
Sustentabilidade ambiental: por que comprar de empresas sustentáveis?